fbpx
Site Loader

Hoje vamos falar de um dos temas que as empresas mais questionam e mais erram ao desenvolver as etiquetas: composição!

No regulamento de etiquetagem é exigida a indicação dos nomes das fibras têxteis ou filamentos têxteis e seu conteúdo expresso em percentagem de massa (%).

Primeiro, é importante saber que a identificação dos nomes das fibras é padronizada e regulamentada. Essa identificação deve ser feita somente com os nomes genéricos das fibras ou filamentos têxteis, conforme a listagem disponível no Apêndice A da Portaria nº118 – nova portaria de etiquetagem têxtil publicada pelo INMETRO em março de 2021.

Você deve usar a denominação exatamente como está na lista, nenhum outro nome pode ser utilizado!

Inclusive um dos erros mais comuns que as empresas cometem é utilizar os nomes comerciais ou marcas registradas das fibras, como por exemplo Nylon no lugar de poliamida, Lycra no lugar de elastano, Raion no lugar de viscose, etc.

Outro erro comum é abreviar o nome das fibras ou usar sua sigla no lugar do nome genérico, como, por exemplo, PU para poliuretano, PA para poliamida, CO para algodão.

Fica a dica! Caso você queira utilizar o nome de alguma marca de fibra têxtil, é melhor fazer isso numa tag separada, assim você pode acrescentar outras informações do produto que são livremente permitidas, só que é sempre importante lembrar que essas informações não podem entrar em conflito com as informações obrigatórias indicadas na etiqueta.

Uma novidade que já vem desde a Portaria nº 296 é a inclusão de duas novas fibras: o elastomultiester e a melamina, além da alteração dos nomes metálico e metalizado para somente metal, então agora quando você possuir um tecido que tenha a presença de algum metal, como cobre e prata, por exemplo, na hora de indicar na etiqueta deve estar escrito: fio de metal ou fibra de metal.

Não confunda essa regra ao informar composição de peças feitas com fio de Lurex. Normalmente Lurex são fios feitos de fibras de poliamida ou poliéster recobertos com acabamento metalizado e, ao informar a composição na etiqueta, você precisa indicar a composição real do produto, ou seja, poliamida ou poliéster, quando for o caso.

Quer saber mais sobre composição e como desenvolver as etiquetas dos produtos corretamente? Baixe o nosso e-book gratuito “Guia fazendo sua Etiqueta Certa”, nele detalhamos tudo o que você precisa saber sobre a Regulamentação de Etiquetagem. E se quiser conhecer o sistema Etiqueta Certa clique aqui para agendar uma demonstração gratuita.

Post Author: etiquetacerta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *